sexta-feira, 28 de abril de 2017

A MINHA, A SUA, A NOSSA CRIANÇA INTERIOR


     


     
     Eu trato de crianças. Crianças de 28, 34, 39, 45, 50 anos. As outras, de 8,9 10 ou 12, encaminho a colegas, bem mais competentes do que eu nesse quesito. As “crianças" que eu atendo têm sempre uma marca, deixada pelos adultos na mais tenra idade. Feridas não cicatrizadas que ainda doem. Dias atrás, fiz uma Constelação* de uma senhora de quase 70 anos, que ainda clamava pelo amor de sua mãe, uma idosa de quase 90. E a gente tinha a ilusão de que, quando atingisse a maturidade, estaria completamente preparado para o que desse e viesse.

     Sim, existem pais tóxicos. São aqueles que criticam, nunca elogiam, que sempre exigem a perfeição, criando no filho a impressão de que ele nunca é e nunca faz o suficiente. São pais que não olham no olho, que menosprezam o menor sentimento exposto, que deixam os pequenos se virarem, quando ainda estão em formação da personalidade. Falta chão, parede e teto a esses filhos. Não têm um adulto responsável, amoroso e disponível, no qual se apoiar.


     O que muita gente não sabe é que a vida fica estagnada porque a criança interna está descuidada. Esses adultos infantis não prosperam, não passam no vestibular, não conseguem manter relacionamentos amorosos satisfatórios, não ganham dinheiro, não têm boa autoestima e aceitam migalhas de todos, para não morrer de fome; em suma, não deslancham em uma ou mais áreas da vida, sob a tutela de uma nuvem negra que lhes acompanha diuturnamente. Não cabe juízo de valor sobre os motivos desse comportamento paterno, pois não sabemos as circunstâncias em que os fatos se deram. Talvez - é uma hipótese - os pais não tenham recebido de seus próprios pais. Ou, talvez, não tenham crescido também. Então, não poderão dar o que não têm. Logo, o que aparece é a ferida exposta e sangrante. 
     No filme Duas Vidas, lançado em 2000, o personagem de Bruce Willis, Russ Duritz, tem a chance de se encontrar com seu pequeno “eu”, aos 8 anos de idade. Uma criança que foi marcada pelo medo intenso do pai, ao perceber que sua esposa estava morrendo e que teria que criar sozinho os filhos pequenos. Russ adquire um tique facial, no momento em que o pai, apavorado, lhe expõe a doença da mãe. Além dessa aquisição física, Russ torna-se um homem arrogante e hipócrita, armaduras contra a sua natureza afetiva. O filme é emocionante e demonstra, claramente, que podemos revisitar o passado - senão literal, pelo menos simbolicamente - e colocar no colo aquela criança, doente emocionalmente.

     Uma ferida dói. Todos já nos ferimos. A maioria dos profissionais de saúde sabe que, para haver cicatrização, é necessário limpar bem a chaga e extirpar toda secreção ou sujeira. Enquanto se limpa a lesão, sentimos dor. Mas, só assim, haverá reparação completa dos tecidos.

     Limpar a ferida emocional requer falar sobre ela, dar nome aos bois, nomear os sentimentos, metabolizá-los e drená-los de forma eficaz; Requer pesquisar o passado de seus próprios pais e reconhecer que eles, provavelmente, também têm chagas não tratadas; Requer sair da posição de vítima e deixar de execrar o suposto vilão. E requer assumir a responsabilidade pela autoconhecimento, de modo a passar da infantilidade para a “adultice”. Todos esses aspectos são levantados, tratados e elaborados através da psicoterapia. Que obedece a um tempo interno, não ao tempo cronológico. Portanto, esse processo pode durar alguns meses ou alguns anos, dependendo da profundidade da lesão. O primeiro passo é começar!


*Constelação: http://psicologia.escritaquecura.com.br/constelacoes/

Previdência ou Providência?

Bom dia galera, tudo bem?

Aqui quem fala é o Yobil.

Sexta feira, dia 28 de abril de 2017, a pergunta é: O Brasil vai parar?

Alguns movimentos sociais e centrais sindicais estão planejando uma greve geral contra a reforma da previdência e mudanças na legislação trabalhista.



Primeiramente, vamos entender a reforma da previdência: 
Leia mais...

quinta-feira, 27 de abril de 2017

Estreia – Guardiões da Galáxia Vol.2

Fala, Galera! Hoje 26/04 teremos a estreia do excelente Guardiões da Galáxia Vol.2. Um filme que foi dado como promessa e agora se tornou um dos pilares da Marvel.

Confira a Sinopse: "Com a Awesome Mixtape #2 como trilha, Guardiões da Galáxia 2 continua as aventuras do time, enquanto atravessam os confins do cosmos. Os Guardiões devem lutar para manter sua nova família unida, enquanto tentam desvendar os mistérios da verdadeira paternidade de Peter Quill. Antigos inimigos se tornam novos aliados e personagens favoritos dos fãs dos quadrinhos clássicos vão ajudar os heróis, enquanto o Universo Cinematográfico Marvel continua a se expandir."



Neste longa além do excelente elenco, teremos a adição de dois excelentes e conhecidos atores, são eles: Sylvester Stallone interpretando Stakar Ogord (Águia Estelar) e Kurt Russell interpretando Ego o Planeta Vivo e pai do Peter Quill (Ego em sua forma "humana").

Além de um excelente filme podemos contar com uma excelente trilha sonora com grandes clássicos dos anos 80 e 90, muito humor e um engraçadíssimo e fofo Baby Groot.

Portanto, se tiver oportunidade vá conferir esse excelente programa.

Trailer:


quarta-feira, 26 de abril de 2017

Sete Minutos Depois da Meia-Noite – Critica sem spoilers.


Sete Minutos Depois da Meia-Noite (A Monster Calls)
2016 - Brasil 2017 ‧ Fantasia/Drama ‧ 1h 48m

Sinopse


O garoto Conor tem muitos problemas na vida. Seu pai é muito ausente, a mãe sofre um câncer em fase terminal, a avó é uma megera, e ele é maltratado na escola pelos colegas. No entanto, todas as noites Conor tem o mesmo sonho, com uma gigantesca árvore que decide contar histórias para ele, em troca de escutar as histórias do garoto. Embora as conversas com a árvore tenham consequências negativas na vida real, elas ajudam Conor a escapar das dificuldades através do mundo da fantasia.

Você vai ficar triste no final do filme, pode ter certeza disso, se não estiver afim de sentir isso, não assista o filme. Esta tristeza pode ser encarada de forma positiva ou negativa aí depende de cada um de nós, já falo isso para que você decida se quer passar por esta experiência ou aproveitar a 1 hora e 48 minutos de duração do filme fazendo algo mais alegre.

Vamos de informática: É sempre necessário computador caríssimo?

Nós que trabalhamos em algum dos campos da Tecnologia da Informação, antigamente chamada simplesmente de Informática, muitas vezes começamos com antes chamado de Montagem e Manutenção + Redes, e com o crescimento e a mudança para definição como profissionais de TI essa parcela de trabalho é enquadrada na área de Infraestrutura. Ainda tenho clientes dessa área, apesar de tentar ao máximo fugir desse tipo de atendimento, mas as contas sempre aparecem e assim acabo aceitando alguns serviços. E o que mais pedem é ajuda/consultoria para montarem computadores adequados para aquilo que irão trabalhar. Nossa e isso é muito chato além de perigo de acabar deixando o povo insatisfeito, pois como sempre o bolso, e a falta de R$ o suficiente, é que acabam determinando uma compra. Então vamos entender alguns detalhes que devem estar sempre presentes na decisão na compra.
OBS.: Temos também aquele momento de “médico”, o de “ressuscitar” um computador, identificando onde está o motivo de parada da máquina, e isso ainda pode levar ao fim definitivo da mesma, já que algumas peças fora de linha empurra o cliente ter como mais em conta na compra do conjunto Placa Mãe+Processador+Memória que na verdade esse é o que faz todos os demais funcionarem.

Processador e Placa Mãe: Até certo tempo atrás o top era ter placa mãe bem robusta/forte e off board, que simplesmente é fazer o comprador ter que comprar mais uma peça: A bendita Placa Aceleradora de Vídeo/3D, ou só Placa de Vídeo. Isso era bom em parte, pois se você tivesse a perda da placa de vídeo você ficava sem o computador, e vai que essa geringonça queima justamente quando você estava passando por uma crise? Computador encostado, sem opções. Hoje mesmo as placas mães mais avançadas tem o vídeo on board, ou vídeo integrado na placa mãe, para obviamente para não acontecer para que a falta de dinheiro faça você parar tudo.

terça-feira, 25 de abril de 2017

Heroes of the Storm 2.0 - Uma nova Era


Hoje a Blizzard deu inicio a uma nova era em Heroes of the Storm, com a chegada da versão 2.0 grandes mudanças estão vindo para aprimorar e trazer novidades para o pessoal que gosta de jogos de MOBA e também para quem procura um jogo que realmente seja legal e rápido.

Bem se você não conhece o Heroes of the Storm ele e um MOBA cheio de mecânicas tanto de Heróis como de objetivo de mapa fazendo dele um jogo bem completo em questão de jogabilidade e companheirismo de equipe. O jogo traz Heróis de vários jogos Blizzard como Overwatch, Starcraft, World of Warcraft, Diablo e outros jogos clássicos da empresa que deixa o jogo bem diversificado de outros MOBAs.


Ok, o jogo e bom mas porque eles estão mudando e pretendendo mudar mais?
Muita gente sabe que a Blizzard é uma empresa que aposta em novidades e vem tendo muitas conquistas de sucesso como por exemplo o jogo Overwatch mas no caso do Heroes of the Storm isso vem sendo difícil  e em pequenos passos mas isso vai mudar com o Heroes 2.0 isso porquê seus desenvolvedores vão trazer todas as recompensas que fizeram sucesso em outros jogos da Blizzard. Quem jogou o BETA não quis mais voltar para a versão oficial mas agora dia 25/04/17 ela finalmente chegou.

— Nossa se você não conhece nenhum jogo da empresa Blizzard saiba apenas que são recompensas muito gratificantes e legais para quem gosta de jogar e realmente sentir que esta ganhando itens por jogar .

Assista ao vídeo e veja as mudanças que chegaram hoje com o a novo era Heroes 2.0.


Claro você pode ver isso tudo e muito mais lá no site do jogo, Heroes 2.0, para você que conheceu o Heroes antes e não gostou muito por não ter ganhado heróis saiba que agora isso também mudou nesse link (Megapacote do Heroes) você vai ver uma lista de heróis que você vai poder escolher gratuitamente.


Esse é um grande momento para você começar a jogar pois além de trazer mudanças significativas para quem já conhecia o jogo, ele também dará muitas recompensas aos novos jogadores e também para jogadores de outros jogos da empresa.


Como assim outros jogos da empresa?
Leia mais...

Larvinha comedora de sacola?

E aí, galera!

Yobil na área de novo!

Gostaram do peixinho da queimadura? Que tal essa larvinha que come sacola?

Quase todo mundo sabe do problema das sacolas plásticas no mundo, mas para quem não sabe é o seguinte: essas pragas são feitas de polietileno, material que é obtido a partir do petróleo e do etileno, e a produção dela é altamente poluente ao meio ambiente, fora que duram cerca de 200 anos quando são soterradas no lixo.
Enfim, para amenizar esse problema todo, hoje temos aquelas famosas sacolinhas oxidegradáveis que levam até 18 meses, MAS, elas são de baixo custo, então o valor do mercado de reciclagem dela é baixíssimo e a galera não o faz, e ainda por cima sua reciclagem é limitada, assim como o papel, que vai perdendo propriedade.


Trocaram um problema pelo outro, né não?

Mas aí agora apareceu essa moça, Federica Bertocchini, uma bióloga evolutiva e pesquisadora lá da Espanha.
O hobby da moça é criar colmeias, e disso surgiu uma pesquisa que nem ela esperava. Um dia, ela foi retirar as larvas parasitárias de uma colmeia e embrulhou as bixinhas em um saco plástico, em pouco tempo elas fizeram buracos e "fugiram".

Pô, normal isso! Sim, MAS, a moça ficou curiosa. Até então, sabia-se que as larvinhas comiam plástico, mas ninguém se tocou de procurar saber se elas digerem ou só defecam depois em partículas menores, e foi isso que nossa amiga Federica quis saber.
Pois é, galera, a larvinha consegue transformar o plástico em outra substância, o etilenoglicol, que nada mais é do que uma pequena molécula que consiste de polímeros, ou seja, NÃO É PLÁSTICO MAIS!

Mas e aí? Vamos jogar larva no lixo? Claro que não, irmão! Agora vão rolar várias pesquisas em cima disso para descobrir qual a enzima responsável pela quebra das ligações do polietileno, com isso, será verificada a possibilidade de produção industrial disso, e então, poderá ser feito o descarte ecológico das sacolinhas e degradação do material já existente nos aterros.

Bacana demais, né? Dá um prêmio para essa moça aí!

E aí, o que acharam? Opinem aí nos comentários.